sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

OPERAÇÃO CANGAÇO - Polícia desarticula quadrilha

O Departamento de Inteligência do Estado do Paraná (Diep), com apoio das polícias Civil e Militar, desmantelou ontem pela manhã uma quadrilha que praticou assaltos e explosões a bancos, cooperativas e agência dos Correios no Paraná. A ação, denominada Operação Cangaço, resultou na prisão de 21 pessoas. Os detidos são investigados por envolvimento em pelo menos 22 assaltos a bancos e uma agência dos correios, em 16 ações, sendo que 10 foram praticados em municípios da região.

Entre os detidos está um funcionário público da Prefeitura de Ortigueira, município sede da quadrilha. De acordo com a polícia, um dos líderes do bando, Fabiano de Jesus Pereira Ortis, 27 anos, foi morto durante a operação, em Mauá da Serra. Ele teria reagido à presença da equipe. Durante a investigação, o Diep constatou que os criminosos podem ter tomado quase R$ 4 milhões das instituições bancárias.

A operação teve início após o assalto no município de Borrazópolis. O crime ocorreu em julho do ano passado e os alvos foram a Cooperativa Sicredi e o Banco do Brasil. Fortemente armados e bem equipados com máscaras e coletes à prova de balas, os bandidos renderam mais de 30 pessoas, que foram obrigadas a formar um cordão humano. Segundo a polícia, a modalidade criminosa é conhecida como cangaço, até então inédita no Paraná.

Na região, o grupo também foi responsável por ataques em Ortigueira (4), Rio Bom (1), Rosário do Ivaí (3), São Pedro do Ivaí (1), e em outras localidades do Estado, como Imbaú (1), Tibagi (1), Ponta Grossa (1), Reserva (3), Tamarana (1) e Curiúva (1), ocorrido na última segunda-feira.

“Eles são responsáveis por 16 roubos somente em bancos nos últimos seis meses. A quadrilha era sediada em Ortigueira e tinha como chefe o Fabiano Ortis”, informou o delegado José Aparecido Jacovós, chefe da 17ª Subdivisão Policial (SDP). Com Ortis, os policiais apreenderam uma metralhadora e uma pistola . 40. Segundo a polícia, o funcionário público da prefeitura de Ortigueira é suspeito de operar as retroescavadeiras em um dos crimes praticados naquela cidade.

“A investigação foi um trabalho conjunto entre a 17ª SDP de Apucarana, com o setor de inteligência da Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), Diep de Maringá e serviço reservado da Polícia Militar Londrina”, acrescenta Jacovós.

Além de Ortigueira e Mauá da Serra, a operação aconteceu em Telêmaco Borba, Imbaú, Faxinal, Lerroville, e Londrina. Balanço parcial realizado na tarde de ontem dá conta de que foram apreendidos drogas, armas, carros, pistolas, metralhadoras, munições, farda camuflada, balança de precisão, pistolas, uma grande quantidade de cigarro, celulares, pendrive, mascaras e computadores. Dez integrantes da mesma quadrilha foram presos em setembro do ano passado, em São José dos Pinhais.

"Esse tipo de ação criminosa, organizada, armada e violenta deve ser combatida com prioridade pela Segurança Pública do Paraná, até pelo trauma que causa na sociedade. Somente com ações integradas, no modelo de força-tarefa, com suporte dos órgãos de inteligência, será possível alcançar o resultado de sucesso, como este da Operação Cangaço", disse o secretário da Segurança Pública do Paraná, Wagner Mesquita.

A ação foi batizada como cangaço, em alusão ao período de banditismo brasileiro ocorrido no Nordeste do Brasil, na época liderado por Lampião.

Bandidos explodem duas agências em Cândido de Abreu
Pouco antes da Operação Cangaço ser desencadeada, bandidos fortemente armados explodiam os caixas eletrônicos de duas agências bancárias, por volta das 3h30 da madrugada de ontem, em Cândido de Abreu.
Pelo menos oito homens portando armas de grosso calibre participaram da ação que teve como alvo o Banco do Brasil e Banco Itaú. Testemunhas relataram à polícia que durante a ação, parte do grupo teria cercado o destacamento da Polícia Militar (PM), para intimidar a equipe de plantão.
Após dinamitarem as agências, os bandidos se dividiram em três carros e fugiram do local. A polícia não soube informar o valor levado pelos bandidos. A explosão danificou a parte interna dos prédios, contudo, não há informações houve comprometimento da estrutura do prédio.
Peritos foram ao local e fizeram levantamento de informações que serão incluídas no inquérito policial. Imagens de câmeras de segurança foram solicitadas pela polícia para análise e possível identificação de suspeitos. O valor levado pelos bandidos não foi informado.

Siga nossa página no Facebook

BORRAZÓPOLIS ONLINE - Todos os direitos reservados. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.