segunda-feira, 30 de março de 2015

SELEÇÃO BRASILEIRA - Depois de oito jogos, técnico Dunga tem base montada

"Eu vou, eu vou, pra Copa América agora eu vou...". Os 23 jogadores convocados por Dunga para os amistosos contra França e Chile – vitórias por 3 a 1 e 1 a 0 – querem voltar para casa cantarolando a participação no torneio, que será disputado em junho. Mas nem todos podem.

A próxima convocação será definitiva. Ou seja, a corrida por um lugar praticamente terminou. Os atletas podem mudar a decisão de Dunga nas partidas que restam por seus clubes? Sim. Mas o treinador levará muito mais em conta o que viu de perto nos oito jogos da Seleção desde que voltou ao cargo. Ele já adiantou que não haverá novidades.

É possível, portanto, saber quem se deu melhor e quem ficou mais para trás rumo ao torneio que será disputado no Chile. Há muito mais pessoas felizes do que zangadas na seleção brasileira, resultado natural de uma campanha irrepreensível desde agosto: 100% de aproveitamento, 18 gols marcados e dois sofridos.

Se, como Dunga, alguns dos 43 jogadores convocados desde agosto fossem xarás dos sete anões, eles estariam assim, na expectativa da convocação para a Copa América.

Confira abaixo os "companheiros de Dunga": como estão os jogadores após oito partidas da Seleção com o novo técnico:

Jefferson - Titular sempre que convocado, fez milagre em cabeçada de Benzema e pegou pênalti de Messi.
Miranda - Único, ao lado de Neymar, a ter iniciado os oito jogos com Dunga. Virou referência na zaga. 
Filipe Luís - Foi titular nos sete primeiros jogos sem sair, e cumpriu as determinações táticas do treinador.
Luiz Gustavo - Ponto de equilíbrio para um meio-campo leve e criativo, firme no combate e fez gol de cabeça.
Oscar - Cresceu nos jogos contra seleções mais fortes e mostrou muito senso coletivo. Titular em sete.
Willian - Além de ter feito dois gols, participou de outros tantos, deu assistências e marcou demais.
Neymar - Fez oito dos 18 gols dessa “era Dunga”, herdou a faixa de capitão e é o líder do novo técnico.
Danilo - Herdou a posição de Maicon e fechou a primeira etapa de Dunga com bela assistência.
Elias - Voltou à Seleção e foi titular contra a França. Sua postura no meio impôs respeito ao rival.
Firmino - Em quatro jogos, garantiu duas vitórias com dois gols e deu uma assistência. Garantido. 
Diego Alves - Foi o goleiro escolhido para substituir Jefferson quando ele não pôde jogar. Será o reserva.
David Luiz - Conseguiu manter seu espaço após a Copa e vai resistir ao corte dos últimos amistosos.
Robinho - Jogou pouco, mas sua vaga parece estar mais ligada à experiência que passa ao grupo.
Thiago Silva - Reclamou a perda da faixa de capitão, perdeu a camisa 3, e evitou a imprensa. Mas jogou bem.
Lucas - Cortado dos dois últimos amistosos de 2014 e estava machucado nos dois primeiros de 2015. 
Diego Tardelli - Pode ter perdido a posição de titular para Firmino em razão de uma entorse no joelho.
Luiz Adriano - Teve três chances como titular e não aproveitou. Seu estilo não combinou com o novo ataque.
Philippe Coutinho - Apagado no único jogo que fez como titular. Terá que se garantir com a boa fase no Liverpool. 
Souza - Não encantou como seus concorrentes contra o Chile. Desentrosamento do time atrapalhou.
Douglas Costa - Participativo sempre, porém com pouca eficiência. Perdeu gol, mas está na briga pela vaga.
Maicon - Atrasou-se oito horas na reapresentação nos EUA. Dormiu no ponto e foi afastado.
[ Globo Esporte ]

Curta nossa Fanpage!

BORRAZÓPOLIS ONLINE™ 2015 - Todos os direitos reservados. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.