segunda-feira, 14 de julho de 2014

COPA DO MUNDO - Alemanha é tetra campeã


O Mundial de 2014 terminou no último domingo no Rio de Janeiro deixando aos fãs de futebol ao redor do planeta a sensação do testemunho um dos melhores torneios de todos os tempos. Mas será que o Brasil teve a melhor Copa da história? Quem responde que sim até conta com alguns números a favor. No entanto, o apego vem de impressões que as estatísticas não podem traduzir.

Golaços, vitórias com placar elástico, reviravoltas nos últimos minutos e, principalmente, futebol ofensivo. Representantes da imprensa estrangeira apontaram o Brasil 2014 como a melhor Copa da história.

Após uma preparação tumultuada, cheia de atrasos de obras e atritos políticos com o governo brasileiro, o presidente da Fifa Joseph Blatter também declarou que esta foi a melhor Copa em que já esteve.

No meio do torneio, o ídolo Zico destacou a ofensividade como o grande atrativo do torneio: "essa mentalidade dos técnicos fez com que os jogadores queiram atacar cada vez mais, melhora o espetáculo".

Lukas Podolski, o alemão preferido dos brasileiros, também endossou a tese de melhor Copa: "A cada dia que passa me encanto mais com esse país lindo. Essa energia maravilhosa. Realmente não tinha lugar melhor para jogar uma Copa".


Abaixo, a frieza dos números e a Copa muito além deles. Com qual você fica?


A COPA NOS NÚMEROS
  • Número de prorrogações: recorde 
    2014: 8 1990: 8
  • Número de disputa por pênaltis: recorde 
    2014: 4 1990 e 2006: 4
  • Média de gols na primeira fase 
    2014: 2,83 (1954: 5,1) 2002: 2,71
  • Média de gols no mata-mata 
    2014: 2,18 (1930: 6,7) 1998: 2,81
  • Maior goleada 
    2014: Brasil 1 x 7 Alemanha 1982: Hungria 10 x 1 El Salvador
  • Maior goleada em jogo entre campeões mundiais 
    2014: Brasil 1 x 7 Alemanha
  • Maior goleada em semifinais 
    2014: Brasil 1 x 7 Alemanha
  • Média de público 
    2014: 53.591 (2ª maior) 1994: 68.991


A COPA ALÉM DAS ESTATÍSTICAS
  • Dramas até o fim 
    A bola na trave do suíço Dzemaili deu um susto nos argentinos no último minuto da prorrogação nas oitavas. Ainda na 1ª fase, a Suíça conseguiu a virada sobre o Equador nos acréscimos. A Holanda virou sobre o México no mata-mata com dois gols nos últimos minutos. A Copa teve outros desfechos emocionantes. O Brasil viveu drama com a bola na trave do chileno Pinilla no fim do tempo extra nas oitavas
  • Futebol ofensivo 
    O Brasil fez os torcedores do mundo apagarem a impressão de futebol defensivo das últimas duas Copas. Costa Rica, Argélia e, pasmem, até a Grécia. Os pequenos que surpreenderam partiram para o ataque. A Costa Rica foi líder do "grupo da morte" ganhando de Uruguai e Itália. Os gregos campeões da Europa em 2004 na retranca mostraram uma nova cara. Alemanha e Holanda também privilegiaram o ataque
  • Astros brilhando 
    Depois de duas Copas apagado, Messi finalmente conseguiu uma apresentação digna de sua história. O craque fez gol no Maracanã na 1ª fase e levou a Argentina à final. De resto, Robben fez uma Copa brilhante pela Holanda. Neymar teve bons momentos até se machucar com gravidade. E se C.Ronaldo não fez milagres por Portugal, um jovem colombiano despontou. James Rodríguez terminou como o artilheiro.
  • Goleiros se destacando 
    Tim Howard foi o nome da campanha dos EUA, sucesso até entre celebridades de seu país. Na derrota para a Bélgica nas oitavas, o goleiro bateu o recorde de defesas em uma única partida de Copa, com 15 intervenções. A Costa Rica jogou no ataque, mas foi Navas o destaque da surpresa da Copa.Tim Krul era reserva na Holanda, mas entrou só para defender os pênaltis que classificaram o time nas quartas
  • Recordes 
    A marca de maior artilheiro das Copas não pertence mais a Ronaldo. O alemão Klose conseguiu os dois gols que precisava para superar o brasileiro e agora tem 16. Por ironia, a virada aconteceu justamente contra o Brasil. O goleiro colombiano Mondragón agora é o jogador mais velho a atuar em uma Copa. Com 43 anos, ele bateu o camaronês Roger Milla ao jogar alguns minutos contra o Japão na 1ª fase
  • Uma festa para sul-americanos 
    Argentinos, chilenos e colombianos invadiram o Brasil para ver a Copa. A Argentina teve 100 mil fãs em um jogo em Porto Alegre. O Chile fez história ao bater a campeã Espanha na 1ª fase. A Colômbia chegou às quartas na melhor campanha da história. Por fim, os hinos a capela. Os brasileiros já tinham cantado na Copa das Confederações. Desta vez chilenos e colombianos também fizeram essa festa
  • [ UOL Copa ]

Siga nossa página no Facebook

BORRAZÓPOLIS ONLINE - Todos os direitos reservados. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.