terça-feira, 25 de março de 2014

ENERGIA - Semáforos com LED reduzem conta de luz de municípios em até 80%

Um projeto da Copel realizado em parceria com 16 prefeituras paranaenses reduziu em até 80% a conta de energia referente a semáforos nestes municípios. Nos últimos três anos, as lâmpadas incandescentes de mais de 14 mil semáforos do Paraná foram trocadas por lâmpadas LED (light emitting diode). 

Além de iluminar mais intensamente, os LEDs consomem menos energia e apresentam maior durabilidade que as lâmpadas convencionais, reduzindo os custos com a manutenção dos semáforos. 

Nas 16 cidades, foram substituídas 40 mil lâmpadas de 100 watts (W) por unidades de 15 W com tecnologia LED, muito comuns em televisores e painéis luminosos. O projeto representa um investimento da Copel de R$ 12 – recursos do Programa de Eficiência Energética (PE) da empresa – e permite uma economia anual de 11 mil MWh (megawatts-hora), consumo médio mensal de uma cidade como Guarapuava, no Centro-Sul do Estado, com 167 mil habitantes. 

“Assinamos um termo de cooperação técnica em que os municípios se responsabilizavam pela compra, escolha dos materiais e contratação da mão de obra dos serviços”, explica o diretor-presidente da Copel Distribuição, Vlademir Daleffe. “Como contrapartida, nós repassamos os valores a fundo perdido às prefeituras envolvidas”. 


Na primeira fase, foram substituídas as lâmpadas de semáforos de Curitiba, Londrina, Ponta Grossa, Rolândia, Apucarana, Maringá, Cascavel, Foz do Iguaçu, São José dos Pinhais e Araucária. Em alguns casos, como em Foz do Iguaçu, além de reduzir o consumo de energia, a ação praticamente eliminou os custos com a manutenção das estruturas. 

Por conta dos bons resultados nestes municípios e da popularização do uso de LEDs pela indústria – reduzindo o custo da tecnologia – as trocas estenderam-se depois aos semáforos de Palotina, Laranjeiras do Sul, Umuarama, Toledo, São Mateus do Sul e Telêmaco Borba. 

SELEÇÃO - A escolha dos municípios participantes foi feita por meio de um estudo de viabilidade técnica e econômica que considerou as localidades com maior quantidade de semáforos e potencial de economia de energia. Os critérios de seleção foram aprovados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que regulamenta os projetos de eficiência energética das distribuidoras. 

Os investimentos do Programa de Eficiência Energética atendem ao contrato de concessão de distribuição de energia (Lei 9.991/2000), que obriga a destinação de 0,5% da Receita Operacional Líquida (ROL) a projetos de eficientização no uso final da energia. 

Desde 2000, a Copel investiu mais de R$ 200 milhões no programa. Em 2013, o valor chegou a R$ 30 milhões, sendo 60% destinados exclusivamente a projetos em benefício de famílias de baixa renda e os 40% restantes voltados a indústrias, poder público, comércio e serviços, além de comunidades indígenas e quilombolas, hospitais, escolas públicas e entidades assistenciais. 

CURITIBA - Do total de semáforos da capital, 87% – cerca de 11 mil equipamentos – tiveram suas lâmpadas trocadas por 30 mil LEDs. De acordo com o gerente de implantação de semáforos da Secretaria Municipal de Trânsito (Setran), Maurício Romani, a economia no consumo de energia tem sido de 77%, recursos que podem ser aplicados em outros serviços públicos. O volume de troca de lâmpadas LED também foi reduzido por conta da maior durabilidade do material. “Antes, trocávamos cerca de 600 lâmpadas queimadas por mês. Hoje são 200”, detalha Romani. 

LONDRINA - Em Londrina, 60% dos 1.359 semáforos passaram a funcionar com lâmpadas LED nos últimos anos. Na avaliação do gerente operacional de Trânsito da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização, Haroldo Takaso, a economia chega a ser de 80% no consumo de energia por esse tipo de equipamento e vale também para a manutenção das unidades. “Foram substituídas 3.880 lâmpadas no projeto, das quais, até hoje, substituímos menos de 30”, afirma Takaso. “O objetivo de economia e redução da manutenção foi atingido além das expectativas”. Outra vantagem apontada pelo gerente é a maior luminosidade proporcionada pelo novo material, o que garante mais segurança ao trânsito. 

FOZ DO IGUAÇU - Aproximadamente um terço dos semáforos de Foz do Iguaçu, o que corresponde a 114 unidades, recebeu 443 lâmpadas de LED no projeto. A redução no consumo de energia elétrica chegou a 50%, de acordo com o engenheiro do Instituto de Transportes e Trânsito de Foz do Iguaçu (Foztrans), Ali Hussein Safadi. “Além da redução significativa no consumo global dos conjuntos de sinalização, a nova tecnologia implantada praticamente zerou a necessidade de manutenção e substituição de lâmpadas”, detalha. 

Ao fazer nova licitação para a instalação dos serviços, o município conseguiu ampliar em 15% o número de luminárias inicialmente previstas, o que só fez aumentar os resultados positivos da iniciativa. 

UMUARAMA - Todos os 132 semáforos de Umuarama, na região Noroeste, tiveram as lâmpadas incandescentes trocadas por 516 exemplares de LED. A redução no consumo de energia foi de 81%, de acordo com o diretor de trânsito do município, Eliseu Vital Silva. Os resultados também foram positivos nos custos com manutenção. Das 520 lâmpadas de LED instaladas nos semáforos da cidade, apenas dez precisaram ser substituídas desde a implantação. 

Saiba mais sobre o trabalho do governo do Estado em: http:///www.facebook.com/governopr  ewww.pr.gov.br 

A troca de lâmpadas por LED em semáforos 

- 16 municípios 

- 14 mil semáforos 

- 40 mil lâmpadas de 100 W trocadas por conjuntos LED de 15 W 

- Redução média de 80% no consumo de energia 

- 11 mil MWh (megawatts-hora) de economia total por ano 

- R$ 12 milhões de investimento da Copel 


[ Agência de Notícias do PR ]

Siga nossa página no Facebook

BORRAZÓPOLIS ONLINE - Todos os direitos reservados. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.